Cover of A Illustre Casa De Ramires

A Illustre Casa De Ramires

Auhtor: Eca De Queiroz

Language: english

Genres:

classic
Downloads: 205
eBook size: 629Kb

Review by Chandler, November 2009


Rating: (****)
Copyright: Public Domain in the U.S.
Please check the copyright status in your country.

Summary of the Book 'A Illustre Casa De Ramires':

Jos Maria de Ea de Queiroz or Ea de Queirs (November 25 1845?August 16 1900) is generally considered to be the greatest Portuguese writer in the realist style. Zola considered him to be far greater than Flaubert. The London Observer critics rank him with Dickens Balzac and Tolstoy. Ea never officially rejected Catholicism but was very critical of the Catholic Church of his time and of Christianity in general as is evident in some of his novels. He used the old-fashioned spelling Ea de Queiroz and this is the form that appears on many editions of his works the modern standard Portuguese spelling is Ea de Queirs.

Excerpts from the Book 'A Illustre Casa De Ramires':


... -Chegou do Alemtejo, vem jantar comsigo. Eu n~ao o trouxe na carruagem por decencia, para o n~ao comprometter... E a caleche rolou-entre ...
... silvante de cavallo-marinho, colhendo o latag~ao na face, de lado, n'um golpe t~ao vivo da aresta aguda que a orelha pendeu, despegada, n'um borbutar ...
... 'E do Castanheiro, por causa dos capitulos do Romance que eu lhe mandei... Coitado! Bom rapaz! E, recostado na cadeira, recitou vagarosamente ...
... estirados na relva,-ou trepavam em bando pela outra encosta dos morros, atrav'es do matto, na esperanca d'atravessar com um virote alguma caca erradia. ...
... na tarefa?... O Dr. Julio encolheu os hombros: -Que quer V. Ex.^a? Se me metteram n'esta! E sabe V. Ex.^a como isto acaba?... Acaba ...
... com um repuxo entre palmeiras, que formaria <> Os trabalhadores comecaram por esvasiar o Mirante da velha mobilia ...
... de Natal dois leit~oes!... 'E apenas uma barriga. Mas que barriga! Ha n'ella uma pujanca heroica que prova raca, a raca mais forte do que promette ...
... grilh~ao, tudo d'oiro... -Bravo!... Encharca bem esse lenco com agoa de Colonia, que tenho a cabeca t~ao pesada!... Essa D. Anna era uma jornaleira, ...
... das tres horas, 'e um horror. Olhe! O Tit'o e o Gouveia jantam c'a na Torre, no Domingo. Appareca tambem, com o viol~ao e cantiga nova: mas menos ...
... de correntes chumbadas aos pilares, e na abobada a argola d'onde pendia a pol'e, e no lagedo os buracos em que se escorava o potro. E, n'essa surda ...
... e a Politica, a terrivel Politica, o fatiguem, o agitem?... N~ao, pelo contrario, Sanches Lucena passava toleravelmente em Lisboa. Melhor mesmo ...
... Villegas, que na vespera, ao tomar (como costumava todos os sabbados) o seu banho aos p'es, se escald'ara e recolhera 'a cama, apavorada, reclamando ...
... arrojo que outr'ora impellia os seus a arrasar Solares rivaes, a escalar Villas mouriscas: resuscitava pelo Saber e pela Arte, arrojava para a vida ...
... De repente, na cama. E ambos se consideraram, em silencio, no espanto renovado d'aquella morte que impressionava Villa-Clara. Por fim Goncalo: ...
... D. Ramires antes do afan da Eleic~ao-para que em Janeiro, ao abrir das C^ortes, surgisse na Politica com o seu velho nome aureolado pela Erudic~ao ...
... intrigas, ainda surde trapalhada... Ainda l'a n~ao vou! O Cavalleiro, ao espelho, esticava o fraque-que experiment'ara abotoado, depois repuxadamente ...
... -N~ao, homem! Jantar muito quieto, muito intimo. Unicamente o Andr'e e o Jo~ao Gouveia. Telegraphas ao Jo~ao Gouveia. Tambem p'odes ...
... parece, al'em dos tumulos do claustro, ha outros, ainda mais antigos, que foram arrombados no tempo dos Francezes, e que ficam n'um subterraneo, ...
... Depois, para D. Anna que se esquecera na contemplac~ao do relogio: -Achas que v~ao sendo horas? Ent~ao, se queres, entramos na Capella... Oh ...
... andas, que estremeceram sobre os hombros dos besteiros, um desesperado brado partio: -N~ao, meu pae! E hirto na borda do eirado, sem descrusar ...